domingo, 24 de janeiro de 2016

AFINAL, QUEM É JESUS ?

                           
“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3.16) Seria Jesus um parapsicólogo, santo ou profeta?Comecemos a resposta pelo fim. Sim, pelo fim da sua vida terrena. Jesus morreu em uma sexta-feira e no domingo ressuscitou. Por que eu posso acreditar nisso? Dentre as evidências de sua ressurreição, destacamos as seguintes: (1) o relato bíblico assim o afirma (Jo 20 e 21); (2) seu sepulcro foi vigiado por uma escolta do exército romano, o mais poderoso da época. Ora, como poderia um pequeno grupo de discípulos assustados desafiar Roma para roubar o corpo do mestre e produzir um embuste? (3) A ressurreição de Jesus era a principal mensagem dos crentes da época, que morriam sem negá-la. Morreriam milhares para sustentar uma mentira? (4) O Cristo ressuscitado prometeu uma prova de que tudo era realidade: os discípulos receberiam poder para fazer milagres e formar novos discípulos. Dez dias após a promessa, os crentes começaram a fazer milagres e, em pouco mais de 200 anos, o cristianismo, sem dar um tiro sequer, havia conquistado o império mundial da época.Qual parapsicólogo, santo ou profeta ressuscitou? Nenhum. Jesus é mais do que isso: ele é Deus. Pr. Cláudio Grabowsky. Parobé. RS

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

O VINHO E O ESPIRITO SANTO, E SUAS DIFERENÇAS.

                                             
  Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo; Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus. Efésios 5:15-21 A primeira diferença que gostaria de comentar é que o cristão cheio do Espirito Santo não tem o seu andar cambaleante , como é normal de uma pessoa embriagada de vinho, logo é identificado, tanto de perto ou de longe se identifica uma pessoa embriagada pela sua dificuldade de se manter, pela falta de firmeza, andando de um lado para outro na rua, seu equilíbrio  totalmente não existe. Assim Paulo escreve aos Efésios que era para eles observar como deveriam andar, não como os néscios, mas como cristões sábios. A segundo diferença que  o cristão não tem, é os seus dias perdidos, pois a carta esta dizendo " Remindo o tempo" todo o cristão servo de Deus, cheio do Espirito Santo, aproveita todas as oportunidades que lhe são propostas. A terceira diferença é que a mente do cristão não é entorpecida, ou seja, o cristão procura diligentemente a entender qual é vontade de Deus para com sua vida espiritual. Qual é o resultado de uma pessoa com sua mente entorpecida? sua condição de pensar lhe é tirada, esta substancia provoca alterações físicas e psíquicas, não deixando o usuário agir de forma própria. Quarta diferença que o cristão cheio do Espirito Santo não tem com relação ao usuário de vinho é um cântico discordante, o texto diz: "Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração." nos lábios do cristão estão hinos, cânticos, salmos, nos lábio daquele cheio de vinho e contenda, estão musicas obscenas, depravadas, ilícitas, mundanas e sensuais. Quinta diferença que um cristão cheio do Espirito Santo tem com relação a embriagues é que o cristão tem uma gratidão continua e universal. "Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo."  Somente somos gratos quando o Espirito Santo de Deus na nossa vida, gera uma gratidão por aquilo que Deus fez em nossas vidas, e de onde ele nos tirou.  " E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." (Romanos 8.28) E por fim a ultima diferença é que o cristão tem um desejo de servir, este não term dificuldade alguma de servir a ele, e aos outros. O apostolo Paulo queria que os destinatários desta carta fossem cheios de Espirito Santo, e não cheio de vinho onde havia contendas. Pr. Cláudio Grabowsky. Parobé. RS